Domingo, 25 de Junho de 2017

Última atualização01:43:52 PM GMT

Você está aqui: UBM Coordenação Nacional e Conselho Fiscal
Banner

Fórum das Resistências encerra com proposta de encontro mundial

E-mail Imprimir PDF
FSM 2017

O Fórum Social das Resistências ocorreu entre os dias 17 a 21 de janeiro, em Porto Alegre. UBM teve presença destacada.

A coordenadora de Relações Internacionais da UBM e representante da entidade no Conselho Internacional do Fórum Social Mundial, Liège Rocha, avalia que "O encontro contou com um momento de reflexão sobre a ascensão do conservadorismo e a resistência dos povos, ocorrendo duas principais mesas sobre a conjuntura internacional e da América Latina. É clara a semelhanças da investida da direita em outros países, isso não é uma exclusividade brasileira".
Em reunião do Comitê Internacional foi proposta a realização do Fórum Social Mundial em Salvador em fevereiro de 2018. Além do lançamento do FSM em Salvador, a reunião do CI também definiu uma agenda de mobilizações até fevereiro: participação na COP 23, encontro da ONU que tratará mudança climática; protesto à reunião ministerial da OMC, que acontecerá em Buenos Aires em dezembro e; em contraponto ao fórum de Davos, fazer mobilizações em todo o mundo contra o modelo econômico neoliberal. “A ideia é fazer um ocupa geral para demonstrar que o mundo inteiro está contra essa linha e, então irá se concentrar na primeira quinzena de fevereiro, em Salvador”, afirma Mauri Cruz, membro do Comitê Internacional.


Nesta edição, a crise econômica impediu que certas delegações participassem do encontro. Países como Senegal e Índia não conseguiram enviar representantes. Apesar dos desfalques, o fórum ocorreu com a representatividade de diversos países e de bancadas brasileiras das mais distintas regiões.

Com menos recursos para custear o fórum, a resistência também se fez presente para manter o caráter livre do espaço, rejeitando, por exemplo, a proposta do governo do Rio Grande do Sul (Sartori-PMDB) em financiar o encontro.

A luz do Fórum Social Mundial continua acesa

Liège chama atenção sobre a importância do Fórum para reanimar os movimentos sociais,"Foram dezenas de debates dos mais variados temas, você percebe que não é propriedade sua, mas sim de um conjunto de atores protagonistas de várias partes do mundo. Então é necessário destacar a solidariedade e a soberania nacional como um ponto importante nesse cenário atual", destaca.

Baianos querem sediar o próximo FSM

Durante a Reunião do Conselho Internacional, os baianos desmontraram interesse em sediar o próximo Fórum Social Mundial, que ocorreria em março de 2018, em Salvador. Seria a primeira vez que o Estado receberia o encontro, que já passou por Porto Alegre (RS) e Belém (PA).

 

Leia mais: Liège Rocha: A luz do Fórum Social Mundial continua acesa

 

Da redação, com informações do Vermelho

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar